Comercial e suporte
(11) 2692-2355
(11) 2662-2855
Manutenção de Piscina: dicas para o seu trabalho
Manutenção de Piscina: 5 dicas que vão facilitar essa tarefa

O verão está chegando e o calor bate na porta do Brasil inteiro… Você sabe o que isso significa? Está na hora de prepararmos as piscinas para aquele momento de lazer e diversão em família ou com os amigos. Porém, sabemos que nem sempre cuidamos bem das nossas piscinas, especialmente quando não estamos utilizando-as com frequência. Pensando nisso, preparamos esse artigo para você: aproveite esse começo de calor para deixar a sua piscina pronta para um verdadeiro descanso! Se tem dúvidas sobre como fazer isso, não deixe de conferir nossas 5 dicas para realizar manutenção de piscina.

Por que fazer manutenção de piscina e 5 dicas

Ao falar sobre cuidados com a piscina, o primeiro motivo é, sem dúvidas, a questão da higiene. Afinal, ninguém quer entrar num local com chances de pegar uma bactéria, algas ou fungos que podem provocar doenças e acabar com toda a diversão. Além disso, é imprescindível se atentar aos equipamentos a compõem, especialmente as bombas para piscinas. Infelizmente, como dissemos acima, muitas pessoas negligenciam a manutenção da piscina. Se esse é o seu caso, veja as 5 dicas que nosso time de especialistas separou para te ajudar!

1 – Veja se a água da piscina está suja

Problemas de água suja são bem comuns em piscinas, uma vez que elas passam, a maior parte do tempo, sem serem utilizadas. Portanto, é possível que o local torne-se um criadouro de bactérias e micro-organismos indesejados – como a larva do mosquito da dengue. Para esse tipo de problema, o seu melhor aliado serão produtos químicos, principalmente o cloro.

No entanto, devemos reforçar que alguns produtos usados na sanitização de piscinas podem provocar reações inesperadas nos usuários. Os exemplos mais comuns são dores de cabeça e problemas de pele. Dessa forma, como trata-se de uma situação muito séria, é fundamental estudar direito o equilíbrio químico correto da água.

2 – Cheque o PH da piscina

Aproveitando o gancho, a nossa segunda dica fala justamente sobre o PH da água da piscina; ou seja, o quão ácida ou alcalina ela está. De maneira geral, esse fator pode ser controlado por meio do uso de substâncias químicas. Lembre-se: fazer essa verificação é essencial para saber quais são os parâmetros ideais para o uso da sua piscina.
Os fatores considerados normais são os seguintes:

PH entre 7.2 e 7.6;
Alcalinidade entre 80 e 120 ppm;
Nível de cloro entre 1 e 3 ppm.

3 – Adicione cloro na água da piscina

Existem muitas opções para o tratamento da água de piscina. O mais comum é utilizar o cloro; afinal, ele é um ótimo sanitizante, funcionando muito bem para a higienização ao eliminar fungos e bactérias. Todavia, a quantidade a ser aplicada varia de acordo com alguns fatores.

Por exemplo: se for utilizar o cloro tipo granulado, pode colocar 4 gramas para cada 1.000 litros. Caso prefira o líquido, 15ml para cada 1.000 litros. Informação importante: essa quantidade vai depender do volume da piscina, da quantidade de sujeira, frequência de uso, temperatura e/ou quantidade de banhistas.

4 – Limpe a sua piscina

Essa é uma dica muito importante: ter piscina é trabalhoso, não esqueça disso. Se você decidiu investir nessa opção de lazer, saiba: terá que cuidar dela. Então, não adianta aplicar produtos químicos e se preocupar com o PH da água, se você não a limpa frequentemente. sendo assim, utilize uma peneira na superfície para remover folhas e outras sujeiras; passe escova ou esponja nas bordas para retirar o acúmulo de algas; aspire o fundo do local e inicie a filtração.

Esse processo deve ser feito o ano todo, mesmo durante o inverno. O ideal são 3 vezes por semana.

5 – Reparos na estrutura da piscina

Como destacamos acima, os reparos nos equipamentos do reservatório são muito importantes. Mas vamos focar um pouco mais na estrutura das piscinas: ela pode ser feita de alvenaria, concreto, madeira ou fibra. O seu revestimento, por outro lado, pode ser de tinta, azulejo ou vinil. Nesse caso, você deve se atentar se a estrutura apresenta furos, rasgos ou trincas que possam resultar em vazamentos. Também atente-se à peças quebradas ou trincadas em equipamentos, como as bombas para piscinas, que podem comprometer o funcionamento correto da piscina.

O que achou das nossas dicas para manutenção de piscinas? Agora ficou mais fácil cuidar da sua, não é mesmo? Se gostou, não deixe de curtir e compartilhar para ajudar os seus amigos a preservarem uma água limpa e uma piscina sempre pronta para diversão.

Até a próxima!

Leia também